Colesterol alto: um mal silencioso

08 de agosto de 2020 02m12s de leitura

Compartilhe

Colesterol alto: um mal silencioso

Dia 8 de agosto é comemorado o Dia Nacional do Combate ao Colesterol. Essa data foi criada com o intuito de conscientização e principalmente prevenção de DCV (doenças cardiovasculares), que é a primeira causa de mortalidade no Brasil.

Os sintomas físicos da hipercolesterolemia, popularmente conhecido como colesterol alto, em geral, não existem, só sendo possível identificá-los pelo perfil lipídico no exame de sangue.

A hipercolesterolemia é apenas um dos vários fatores de risco que uma pessoa pode ter para desenvolver problemas cardíacos. Por isso, sugere-se que para melhor acompanhamento seja feito o hemograma anualmente.

De toda forma é possível saber que algumas pessoas tem maior propensão a desenvolver colesterol alto por seus hábitos ou mesmo por característica genética. Alguns dos motivos são:

  • Consumo excessivo de bebida alcoólica
  • Sedentarismo
  • Alimentação rica em gorduras e açúcar
  • Alimentação pobre em fibras
  • Fatores familiares
  • Fatores genéticos

O tratamento tem como objetivo regularizar esses níveis, para que seu valor total, volte ao normal.

É necessário fazer algumas mudanças na dieta, praticar alguma atividade física de forma regular e em alguns casos faz-se necessário uso medicamentoso recomendado por cardiologistas.

Além disso é importante ter uma boa dieta sugerida por nutricionista, priorizando o aumento de consumo de frutas, legumes, verduras e cereais; evitar uso de embutidos como bacon, salsicha, margarina e afins; evitar frituras, doces e bebidas alcoólicas.

Procure seu nutricionista para mais esclarecimentos.

Bianca Costa


Bianca Costa
CRN 42195
Nutricionista pós graduada em comportamento alimentar pelo IPGS
Porta voz da nutrição da ONG Horas da Vida